Cinenerd – e as Maratonas de Sofá

Browse By

Tudo começou em… 2010, quando nós, estudantes de Ciência da Computação da UFBA descobrimos que um colega nosso nunca tinha assistido Star Wars, o que era inaceitável (ninguém precisa saber que eu só vi a saga completa poucos anos antes).

Então nos juntamos na casa dele para ver o episódio I. Eu sei, deveríamos ser amigos melhores.

Dois anos depois eu me lembrei disso, e fiquei pensando em retomar a experiência. Chamei os mesmos amigos, dessa vez na minha casa, e vimos o episódio II. E aquele clima da galera reunida me moveu a fazer uma coisa maior: assim que nasceu o Cinenerd.

O começo do Cinenerd…

O Cinenerd foi um projeto pessoal que durou uns 4 anos, e me deu muitas alegrias. A gente estabeleceu um sistema muito bacana, de temas mensais. Todo domingo nos reuníamos pra ver dois filmes de mesmo tema.

Para isso, as pessoas deviam votar, no grupo, qual o tema do mês (alguns meses tinham temas pré-definidos, como por exemplo, outubro eram filmes infantis / de terror, setembro eram filmes nacionais, fevereiro eram filmes trash), e depois votar no filme que desejavam assistir.

No início sempre mantínhamos os mais votados como os mais escolhidos. Mas (como vou falar melhor depois) muitas vezes as pessoas que compareciam não se identificavam com o filme escolhido. Então começamos a escolher os cinco mais votados, e dentre esses, as pessoas que estivessem presentes na data escolheriam dois.

O CN teve crescimento modesto. Cada vez mais gente começou a vir aqui para casa, ao ponto de que era mais viável alugar o salão do prédio. Muita gente se animava com a ideia, e até hoje me lembram como “o criador do Cinenerd”, o que me dá muito orgulho. Cheguei a receber propostas de parcerias, mas a verdade é que eu nunca tive tino comercial. Eu adoraria ter levado esse projeto a crescer mais e mais, mas nunca soube como (e nem soube como reconhecer boas oportunidades).

O declínio…

Com o tempo, cada vez menos pessoas começaram a comparecer. Não valia mais a pena alugar o salão de festas do prédio, e não tinha mais nenhuma proposta viável de crescimento (e essas sempre foram poucas).

Uma tendência comum, que era de muitas pessoas comentando e votando, mas poucas pessoas comparecendo, se tornou cada vez mais forte, ao ponto de que, na maioria das vezes, apenas duas pessoas (fora eu) apareciam. Por dois meses, ninguém veio. Foi aí que eu vi que a ideia do Cinenerd era linda, mas que não era mais viável. Então resolvi parar.

A esperança…

Mas, querendo ou não, o CN sempre foi menos sobre os filmes. Sempre foi mais sobre reunir os amigos pra curtir uma obra. Fazer comentários juntos, fazer piadas, comer besteira, ridicularizar cenas que deveriam ser emocionantes, se emocionar em grupo. Era, claro, também sobre filmes. Tive oportunidade de ver vários que nunca tinha visto, porque foram eleitos. E tudo aqui, na minha casa, e com amigos ao redor.

No final das contas, o espírito do Cinenerd nunca morreu. Ainda vive comigo. Esperando, talvez, alguém com mais talento para criação de eventos que eu. Ou um momento em que eu esteja melhor financeiramente.

Talvez, só chamar os amigos em casa pra ver alguma coisa, e continuo fazendo isso, seja o que ele representa. Inclusive, de vez em quando ainda fazemos edições especiais, que a gente divulga aqui (acesse aqui o grupo).

 

E porque resolvi fazer esse texto? Porque o Maratona de Sofá é sobre isso, também. Pelo menos, é assim como eu vejo, e foi um pouco nisso que pensei quando a gente estava pensando no nome do blog.

O Maratona de Sofá é/será o seu site para discutir entretenimento, um lugar onde você não se sentirá sozinho quando curte alguma coisa. Os outros “maratonistas” curtem livros, filmes, séries, jogos, tanto quanto você, e se pudéssemos, estaríamos sempre juntos curtindo essas coisas. Espero que vocês curtam o portal tanto quanto curtimos fazer parte dele.

E, também, façam seus próprios Cinenerds. Chamem os amigos, vejam coisas juntos. Curtam momentos juntos. É maravilhoso.